Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



DESAFIO

Segunda-feira, 28.04.08

 

Wassily Kandinsky

Small Pleasures. 1913.
  

 

Se pudesse de novo sentir o Abril da minha vida, o Abril da minha libertação, não que vivesse em ditadura ou sobre qualquer tipo de repressão, mas gostava de voltar a sentir o sabor da conquista, o sabor da liberdade... Sentir a ousadia, a ousadia natural de uma jovem que julgava dominar o mundo, e o meu mundo (feito de pequenas coisas) doava-se inteiramente para mim.

Vivi-o intensamente de uma forma arrojada, divertida, sentida...

 

Resumir em seis palavras a memória desse Abril de 1982, em seis palavras apenas, é dificil... mas aceito o desafio do meu amigo V.A.D. (http://omeuentendimento.blogs.sapo.pt/)

 

 

"Reviver o desabrochar primaveril daquele Abril..."

 

Deixo no ar o desafio a todos os que por aqui passam...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 16:37

O TEMPO

Quarta-feira, 23.04.08

 

 

 

 

 

 

Solitário

Solitário é o tempo

que corre obstinadamente sem parar

 

Pêndulos a tiquetaquear

tic tac tic tac

 

Segue passo a passo

respeitando o compasso

 

Nada o impede

Nada o faz parar...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 18:17

ÁRVORE

Segunda-feira, 14.04.08


 

 

Woman Tree by
Lola Saifi



Folhas e folhas à volta
da minha árvore caídas
Folhas da minha vida
umas brancas, lindas
rodopiando mansamente
uma dança serena
em perfeita harmonia

Outras lançadas bruscamente
golpeadas por impactos violentos

de ramos esbracejantes
amachucadas, feridas

recolho uma a uma
e meticulosamente guardo-as
no livro da minha vida

 

 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 10:26

JOE COCKER

Quinta-feira, 10.04.08
... a precisar de ajuda... from my friends.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 09:44

DANIEL FILIPE

Segunda-feira, 07.04.08

 

 

 

 

 

 

DANIEL FILIPE
 
Em 1925 nasceu Daniel Damásio Ascensão Filipe na ilha da Boavista, em Cabo Verde.
Ainda criança, veio para Portugal onde fez os estudos liceais. Poeta, foi colaborador nas revistas Seara Nova e Távola Redonda, entre outras publicações literárias. Combateu a ditadura salazarista, sendo perseguido e torturado pela PIDE.
Num curto espaço de tempo, a sua poesia evoluiu desde a temática africana aos valores neo-realistas e a um intimismo original que versa o indivíduo e a cidade, o amor e a solidão.
Faleceu em 1964 em Cabo Verde.


Algumas obras:
 
Poesia
Missiva (1946)
Marinheiro sem Terra (1949)
Recado para a Amiga Distante (1956)
A Ilha e a Solidão (1957)
A Invenção do Amor (1961)
Pátria, Lugar de Exílio (1963)

Prosa O Manuscrito na Garrafa (1960)


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 16:03

A INVENÇÃO DO AMOR

Segunda-feira, 07.04.08

 

 

 

 Les amants by HUGUES GILLET

 

 

 

Em todas as esquinas da cidade
nas paredes dos bares à porta dos edifícios públicos nas janelas dos autocarros
mesmo naquele muro arruinado por entre anúncios de aparelhos de rádio e detergentes
na vitrine da pequena loja onde não entra ninguém
no átrio da estação de caminhos de ferro que foi o lar da nossa esperança de fuga
um cartaz denuncia o nosso amor

Em letras enormes do tamanho
do medo da solidão da angústia
um cartaz denuncia que um homem e uma mulher
se encontraram num bar de hotel
numa tarde de chuva
entre zunidos de conversa
e inventaram o amor com caracter de urgência
deixando cair dos ombros o fardo incómodo da monotonia quotidiana

Um homem e uma mulher que tinham olhos e coração e fome de ternura
e souberam entender-se sem palavras inúteis
Apenas o silêncio A descoberta A estranheza
de um sorriso natural e inesperado

(...)

Daniel Filipe
A Invenção do Amor e Outros Poemas
Lisboa, Presença, 1972

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 15:11

ILUSÕES

Quarta-feira, 02.04.08

 

 

Sky Painter by Rickey Paul

 

 

Por momentos solto

o meu pensamento

ausento-me

do meu corpo

e voo...

voo livremente

é tão bom voar

voar sobre o mar

navegar ao som do vento

sentir que as amarras 

se desprendem de mim

e no vento largo

pequenos pedaços

de sonhos inacabados

ilusões quase perfeitas

como perfeito

o tempo sentido

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 16:05





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Abril 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930





comentários recentes

  • Anónimo

    Amigo Fernando FernandesDepois do pequeno comentar...

  • Anónimo

    Livraria Leitura traz-me á memoria o meu grande am...

  • Emanuela

    Simples e belo! As pessoas tem se esquecido de ser...

  • Emanuela

    Prazer em rever-te Teres. Linda postagem!

  • Margarida

    Adorei :-)***Um poema muito triste ....mas muito s...

  • allungare il pene

    Este texto bonito. escrever é uma terapia natural ...

  • allungamento

    Este texto bonito. escrever é uma terapia natural ...

  • jhennifer de oliveira dumas

    Eu adorei esse livro,já li ele inteirinho,é muito ...

  • natalia

    achei interessantissimo adorei este livro foi o me...

  • Lucília Galha

    Olá TeresaPeço desculpa pela insistência. Enviei-l...




subscrever feeds