Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



AS PALAVRAS

Segunda-feira, 30.04.07

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

                   Eugénio de Andrade
 
As Palavras
As minhas palavras são punhais....
Punhais que disparo em uma só direcção...
E o alvo que penetram sangra 
Gritos soltos, fantasmas dormentes
Cansada recolho as lágrimas
Com beijos esculpidos no tempo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 12:23

A DE AMORA FRESCA

Domingo, 29.04.07

Este é o primeiro poema da minha fofinha, a Silvia, que tem 7 aninhos e ás vezes diz que é pequenina. Ás vezes é grande, depende dos interesses pessoais. Bem gerou-se aqui uma grande confusão, pois ela esta a contestar o "ás vezes é grande", diz que nunca poderia ser grande, pois só tem 7 aninhos.....

 

 

 

 

 

 

A de amora fresca          

B de bebe choraminga

C de cara enrugada

D de dedo grande

E de erva verdinha

F de falcão lindo

G de garfo preto

H de hora certa

I de igreja bonita

J de janela aberta

L de luva vermelha

M de maquina avariada

N de nanar com sonhos

O de ovelha branca

P de palmilha estragada

Q de queijo amuado

R de rato azulado

S de saca rompida

T de tarde limpa

U de uva roxa

V de verniz do sapateiro

X de xadrez limpo

Z de zorro de capa preta

   

 

Fanzeres, 3 de Março de 2007

Sílvia Gomes Alves

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 21:11

HORIZONTE

Sexta-feira, 27.04.07

Estou completamente deslumbrada com as cores pintadas no horizonte,

 cores em tons laranja, fortes, vivas, cores de um por-de-sol único.

Como se meu pai o pintasse exclusivamente para mim.

Sempre me emocionei com momentos como este, e tímidas pequenas gotas

 rolam pelo meu rosto já envelhecido. Como se estivesse a celebrar o momento

deliciando-me com o sabor de um qualquer champanhe francês.

Sorvo o liquido que me humedece os lábios

 e o sal das lágrimas que saboreio amarga o momento.

Uma brisa suave acaricia-me e transporta o meu pensamento para outro tempo.

O tempo que não vivi…

Transporta o meu corpo para outro espaço

O espaço que não preenchi….

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 16:31

MOMENTO

Sexta-feira, 27.04.07

Sinto que em mim

Uma guerra se trava

Lava incandescente é cuspida

De minha mente efervescente

Guerra de seres

Seres que intimamente conheço

E me reconheço….

 

 

E um vazio em mim se instala

Como se nada existisse dentro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 09:53

EIS-ME

Quinta-feira, 26.04.07

 

Eis-me

Tendo-me despido de todos os meus mantos

Tendo-me separado de adivinhos mágicos e deuses

Para ficar sozinha ante o silêncio

Ante o silêncio e o esplendor da tua face

 

Mas tu és de todos os ausentes o ausente

Nem o teu ombro me apoia nem a tua mão me toca

O meu coração desce as escadas do tempo em que não moras

E o teu encontro

São planícies e planícies de silêncio

 

Escura é a noite

Escura e transparente

Mas o teu rosto está para além do tempo opaco

E eu não habito os jardins do teu silêncio

Porque tu és de todos os ausentes o ausente


Sophia de Mello Breyner Andresen, Livro Sexto (1962)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 16:18

ÚLTIMO MINUTO

Quinta-feira, 26.04.07

 

 

Naquele dia levava comigo alguns livros de poesia

Sabia que estavas demasiado cansado para poderes falar

Assim tinha oportunidade de te ler, os poemas que eu lia

 

O esforço que fazia para não te abraçar

Com medo de te apertar, magoar…

O teu corpo desaparecia

E o leve manto que te cobria

Feria a pele que ansiava afagar

 

E as palavras deslizavam atropeladas

No sal das lágrimas mergulhadas

Quando em silencio te li

“Porque tu és de todos os ausentes o ausente”

 

Apesar de estar próximo o dia da mãe, este poema é do meu PAI.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 16:13

NO MEU MUNDO

Quarta-feira, 25.04.07

No meu mundo...

  

No meu mundo pequeno

vivem

pouco a pouco

lutando por um espaço

várias figuras femininas

feitas á minha imagem

 

a figura mulher

a figura mãe

a figura amiga

a figura filha

 

e a figura principal

eu...

que dia a dia

desenha figuras

ao sabor do vento....

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por teresworld às 23:23





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Abril 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930





comentários recentes

  • Anónimo

    Amigo Fernando FernandesDepois do pequeno comentar...

  • Anónimo

    Livraria Leitura traz-me á memoria o meu grande am...

  • Emanuela

    Simples e belo! As pessoas tem se esquecido de ser...

  • Emanuela

    Prazer em rever-te Teres. Linda postagem!

  • Margarida

    Adorei :-)***Um poema muito triste ....mas muito s...

  • allungare il pene

    Este texto bonito. escrever é uma terapia natural ...

  • allungamento

    Este texto bonito. escrever é uma terapia natural ...

  • jhennifer de oliveira dumas

    Eu adorei esse livro,já li ele inteirinho,é muito ...

  • natalia

    achei interessantissimo adorei este livro foi o me...

  • Lucília Galha

    Olá TeresaPeço desculpa pela insistência. Enviei-l...




subscrever feeds